domingo, 21 de fevereiro de 2010

Decepções...



Faz quase 1 mês que escrevi aqui da última vez... queria escrever bem mais, contar as coisas do dia-a-dia, mas não dá, chego tão cansada e com tanta coisa pra fazer que não tenho disposição de sentar no computador pra escrever nada. Mas vamos lá.

Hoje está fazendo 2 meses que cheguei na agência. Parece que faz tanto tempo que estou lá, muito louco isso. Já me adaptei bem ao ambiente, aos colegas de trabalho, aos clientes. Aprendi bastante coisa. Já estou conseguindo me virar bem sozinha, acho que por volta de 80% dos atendimentos. Quando a gente sabe o que está fazendo é outra coisa, muito melhor! Eu gosto de atender as pessoas, gosto de resolver os problemas, de chegar a uma solução. Gosto da rotina também, de ter coisas determinadas a fazer e tal.

Mas... vamos as decepções que coloquei no título desse post. Posso dizer que são duas: com alguns aspectos da empresa e com o trabalho em si. Não vou ficar falando mal da empresa que estou trabalhando, não gosto disso e não é essa a intenção. Eu “visto a camisa” sim, mas não sou cega para as coisas que acontecem. Acho que a empresa falha em alguns aspectos importantes, ainda mais se formos considerar que é uma das maiores do Brasil. Por exemplo, responsabilidade socioambiental, no papel é tudo lindo, mas na prática não é isso que estou vendo. Lá na minha agência não tem separação de lixo orgânico e reciclável. Na cozinha é uma vergonha os restos de comida sendo jogados junto com os copos plásticos e papéis. Comentei isso um dia e uma funcionária bem antiga falou “já pensei nisso também, mas acho que a caixa não está preocupada com o lixo”... Outra coisa, não tem um programa de saúde do trabalhador, não são pedidos exames médicos periódicos... que coisa né? Nem uma ginástica laboral pra dar uma relaxada... Ah uma outra coisa são os sistemas operacionais utilizados, nooossa, um absurdo de lentos, vivem dando problemas e saem fora do ar, é uma lentidão danada pra abrir cada programa, digitar mil senhas toda hora... nada prático muito menos rápido. Dizem ser difícil modernizar os sistemas porque o banco de dados é gigantesco e daria muito trabalho e sei lá mais o que, será que isso não é uma desculpite? Claro que não deve ser fácil pra melhorar os sistemas, ficar dando sempre a mesma justificativa é mais fácil né? Muita coisa pode ser melhorada, tenho certeza disso. Mas quem sou eu né? Uma formiguinha lá dentro. Só torço para que as coisas aconteçam, porque gosto da empresa (estou aprendendo a gostar, ainda em fase inicial de namoro né?! :D ).

Agora a outra decepção que falei, em relação ao trabalho, é a tal coisa de ter que vender, vender, vender... Nossa, nunca imaginei que fosse assim. Claro que já tinha ouvido falar, que bancário hoje em dia é mais vendedor que qualquer outra coisa, mas juro que não pensei que fosse tanto assim. Sexta-feira tivemos uma reunião que foi falado só sobre isso. É claro que a empresa tem que ter lucro, concordo! Mas o lucro vem naturalmente, e não é pouco não! Essa “forçação” de barra que acho desnecessária. Essa pressão em cima dos empregados, gera estresse e estresse. E outra, agora estão fazendo um ranking de vendas de cada funcionário, pra todos verem quem está vendendo mais e tal, e quem estiver lá pro final da fila pode se preparar pois a casa vai cair.

Acho tudo isso um absurdo. Não gosto e não concordo. Falam tanto no código de ética do banco, mas na prática muitas coisas não são respeitadas. Chamam de “apagar incêndio” os atendimentos que não geram lucro, que esses a gente “tem que identificar logo e dispensar rapidinho”. Sério?? Não dá pra acreditar em certas coisas, mas é verdade...

Só acho que essas coisas desse tipo são desnecessárias, não precisa disso pra ter lucro. E muito lucro. Deviam se preocupar em modernizar os sistemas, agilizar os procedimentos, repensar muitas coisas erradas, que com certeza viria mais lucro ainda.

Lá vou eu ser vendedora de seguros e afins... detalhe: sem treinamento pra isso. Eu que me vire. Fazer o que, tenho que dançar conforme a música...