quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Feliz 2014!



Sei que muita gente chega nesse blog querendo saber mais sobre a Caixa, como é trabalhar lá e todo tipo de informações... eu entendo, quando estava prestando o concurso também procurava qualquer coisa que pudesse encontrar pela internet.

Só que eu não ando com muita vontade de escrever sobre minha carreira, sei lá. Estou meio estagnada na verdade. O problema é não saber pra onde ir... por isso não chego a lugar nenhum. Já fiz um curso de Trajetória Profissional na Caixa, e sei como é importante ter claro nossos objetivos na carreira, acontece que não me defini ainda, não sei onde quero chegar. Até pensava que já sabia, mas acho que não...

Esse vai ser meu desafio para 2014!

Vou tentar não demorar tanto pra atualizar o blog... logo apareço pra contar como está sendo minha rotina e outras coisas mais...só não vou forçar ou me obrigar a escrever... quem sabe escrever me ajude a organizar minhas metas e objetivos profissionais... pode ser...




quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

2 anos de Caixa!

Como o tempo passa rápido... frase batida essa, mas é super verdadeira!


Uma pena eu não ter conseguido atualizar esse blog como gostaria... queria ter contado cada etapa passada no trabalho... e tinha tanta coisa pra contar! Fazer o que...


Atualizando, hoje continuo na mesma agência na qual entrei, mas nesse mês faz 1 ano que mudei aqui pra cidade. Mas quase todo final de semana volto pra minha outra cidade.


Também continuo no mesmo setor, o de pessoa física. Fiz algumas coisas diferentes, mas não cheguei a sair dali.


A vida na Caixa é cheia de altos e baixos. Vou do céu ao inferno em questão de dias ou de horas... E as coisas mudam. Meu Deus como as coisas mudam!!!! Aprendi que não podemos fazer planos a longo prazo na Caixa... o que é certeza num dia, já caiu por terra no dia seguinte. Você não tem muita coisa garantida, não dá pra contar com nada. A rotatividade é muito grande também. No começo eu sofria com as despedidas, agora já estou encarando mais normalmente, porque é toda hora! E outra, é bem provável que você ainda vá trabalhar com essa pessoa que você tanto gosta, porque na caixa as pessoas dão voltas, hehehe.


Cresci muito nesses 2 anos. Sinto que melhorei em vários aspectos. E sinto que ainda preciso melhorar muuuuito em vários outros.


Acho que nunca me identifiquei tanto num trabalho. Aliás, tenho certeza. Sinto como se tivesse finalmente me encontrado! É o que eu gosto! É uma loucura, faz tempo que estou trabalhando 12 horas por dia (ganhando por 9 – contando 1 do almoço), fico estressada, nervosa, acelerada... mas adoro tudo isso!!!


No momento estou substituindo um supervisor de atendimento, até chegar um novo na agência, que ainda não sei quando será, espero que demore bastante ainda, porque aí meu salário fica beeem gordinho e também conta pontos, além de ser super importante pra eu me desenvolver cada vez mais ali na função, aprendendo a ser gerente de fato. Eu não tinha idéia de certas coisas, mas não é fácil ser chefe!! Como a gente muda de visão quando está no outro lado! Mas é um desafio tãooo bom!


Hoje, completando 2 anos, posso começar a concorrer nas vagas que forem surgindo de funções gerenciais (supervisores ou gerentes mesmo). Ou também em funções de assistentes, que tem na caixa. Quero subir um degrau por vez. Mas quero muito subir! Minha meta é ser gerente na Caixa! E sei que vou conseguir!

domingo, 24 de abril de 2011

Pois é...



Pensei nesse blog com tanto carinho, nunca imaginei que ia ficar abandonado desse jeito. Principalmente porque a gama de assuntos que tinha e tenho pra falar aqui é imensa!

O meu objetivo era contar tudo da rotina do trabalho no banco, o dia a dia, como eu iria me saindo, as dificuldades, as coisas boas... Porque quando estava pra entrar na Caixa eu pesquisei e vasculhei a net atrás de informações, mas não achei praticamente nada. Se bem que agora entendo: bancário não tem tempo pra essas coisas!!! Hahahaha. (pior de tudo é que é verdade... mas não em todas as agências, isso varia muito, mas pelo que ouço na maioria é assim).

Na verdade é uma pena que não escrevi aqui todas as vezes que pensei em escrever... seria um registro pra mim mesma... Vamos ver se consigo atualizar mais. Vou tentar!!

Situação atual: acabei de voltar de férias. Sim! Já tenho 1 ano e 4 meses de Caixa! Desde quanto entrei permaneci na mesma função: atendimento de pessoa física. Agora vou encarar um desafio estimulante e que lutei muito pra conseguir: vou ser eventual do supervisor de atendimento durante as férias dele. Essa eventualidade é importante por vários motivos, os 2 principais: cada dia que estamos designados como “eventuais” conta pontos para os processos de seleção internos que tem na Caixa (se eu quiser concorrer pra algumas funções, isso vale pontos importantíssimos), e também porque nesse período específico das férias ganhamos um dindin muito bom, o salário da função que estamos desempenhando, eba!

Terminando o feriadão da Páscoa terei esse desafio e essa responsabilidade pra encarar. Ahh e estou louca pra que chegue logo segunda-feira! :D Por incrível que pareça, eu me surpreendo comigo mesma, rs. Sério, porque entrei na Caixa querendo um cargo que não exigisse muito, ficar quietinha no meu canto. Mas nossa, me surpreendo comigo mesma a cada dia ao perceber minha vontade de alcançar muuuuito mais que esse sossego! Quero sim é subir, ter responsabilidades, e tudo o mais! Impressionante mesmo!!

Pra mim essa eventualidade do supervisor é um passo muito importante. E mais ainda porque sinto que conquistei isso por minha vontade, minha garra! Isso me orgulha! Quando o supervisor indicou que ele gostaria que eu fosse sua eventual, foi como se desse um “start” em mim, e fiquei bem como um amigo me falou que eu estava: com a faca nos dentes! Hahaha. Porque vocês não imaginam, mas ele falar que eu “poderia ser” foi só um grãozinho de areia... tive que articular aqui, fazer ali, mostrar determinação e vontade lá... conversar, conversar... empenho, empenho... driblar os candidatos... ufa! Consegui!

Pode parecer pouca coisa, e pode ser mesmo... mas pra mim, que vivi isso, não é pouca coisa não! Nossa, é muuuito importante pra mim, é demais, é um up na minha auto-estima, é tudo de bom! É algo que EU conquistei, que lutei e consegui! Ahhh que bom que é!

E agora vem o desafio, como se fosse a segunda rodada... tenho que dar o meu melhor, e mais ainda, me superar! Que delícia! Descobri que sou movida a desafios (estou repetindo muito essa palavra, mas ela é a chave de tudo agora). E a figura desse post é exatamente como é: degrauzinho por degrauzinho.

Ah, e estou me preparando muito viu! Não só ficando até 13 horas por dia na agencia pra aprender (é, 6 horas são lenda viu gente! Pelo menos pra quem quer crescer), mas fisicamente também. Sim, faz tempo que penso na importância que a aparência tem pra gente, e faz tempo também que penso como colocar em prática isso. E agora nas férias investi em várias roupas pra trabalhar, e cortei o cabelo também! (nossa, é muito assunto... falei que tinha né?... cada coisa que falei aqui era assunto pra vários posts, hehehe

Mas vamos lá. Espero conseguir voltar com mais freqüência!

terça-feira, 7 de setembro de 2010

9 meses

Hoje faço 9 meses na Caixa.

Claro que já passou aquele temor inicial, aquela loucura de querer aprender tudo rápido :D. Mas ao mesmo tempo às vezes dá a impressão que ainda não sei nada mesmo, porque é muuuuuita coisa!

Continua tudo corrido. Praticamente não tenho mais vida social. Fico tão cansada fora do horário de trabalho que nem dá pra fazer nada. Estudos? Nem sei mais o que é isso...

domingo, 18 de abril de 2010

Efetivada!


Faz mais de 1 mês que fui efetivada, pra ser mais exata, desde 07 de março. :D

Em todo o período do estágio probatório, não tive um “feed-back” sequer. Ninguém me chamou pra conversar, pra dizer como eu estava indo, o que poderia melhorar, etc etc. Acho que isso faz muita falta. Pode ser chato na hora, ouvir críticas quase nunca é bom né, mas é importante. A verdade é que na minha agência os gerentes não tem gerência nenhuma. É tudo bagunçado. Eu vejo tanta coisa que poderia ser melhorada. Imagina que não tem nem reuniões!! Sei que é chato, as vezes um saco, mas as reuniões de equipe são muito importantes! (as únicas reuniões que tem ali são do gerente geral, pra agência inteira, só pra falar de metas, de vender, vender, vender).

Já estou me sentindo bem mais segura nos atendimentos. A cada dia aprendo alguma coisa diferente. Algumas pessoas da agência, de setores diferentes, me elogiaram :D. Eles disseram que aprendi muito rápido, bem mais rápido do que a maioria. Eeeeeeeehh! Fiquei feliz! :D

Mas a carga de trabalho está demais... todo dia penso em ir embora mais cedo, mas a cada dia vou embora mais tarde! Afffe. Não me conformo que as horas extras não são a exceção, mas a regra! E pra mim, que tenho que viajar 4 horas por dia pra ir e voltar do trabalho, acaba ficando muito pesado. Está bem difícil. Mas isso é conversa para o próximo post... :D


 


domingo, 21 de fevereiro de 2010

Decepções...



Faz quase 1 mês que escrevi aqui da última vez... queria escrever bem mais, contar as coisas do dia-a-dia, mas não dá, chego tão cansada e com tanta coisa pra fazer que não tenho disposição de sentar no computador pra escrever nada. Mas vamos lá.

Hoje está fazendo 2 meses que cheguei na agência. Parece que faz tanto tempo que estou lá, muito louco isso. Já me adaptei bem ao ambiente, aos colegas de trabalho, aos clientes. Aprendi bastante coisa. Já estou conseguindo me virar bem sozinha, acho que por volta de 80% dos atendimentos. Quando a gente sabe o que está fazendo é outra coisa, muito melhor! Eu gosto de atender as pessoas, gosto de resolver os problemas, de chegar a uma solução. Gosto da rotina também, de ter coisas determinadas a fazer e tal.

Mas... vamos as decepções que coloquei no título desse post. Posso dizer que são duas: com alguns aspectos da empresa e com o trabalho em si. Não vou ficar falando mal da empresa que estou trabalhando, não gosto disso e não é essa a intenção. Eu “visto a camisa” sim, mas não sou cega para as coisas que acontecem. Acho que a empresa falha em alguns aspectos importantes, ainda mais se formos considerar que é uma das maiores do Brasil. Por exemplo, responsabilidade socioambiental, no papel é tudo lindo, mas na prática não é isso que estou vendo. Lá na minha agência não tem separação de lixo orgânico e reciclável. Na cozinha é uma vergonha os restos de comida sendo jogados junto com os copos plásticos e papéis. Comentei isso um dia e uma funcionária bem antiga falou “já pensei nisso também, mas acho que a caixa não está preocupada com o lixo”... Outra coisa, não tem um programa de saúde do trabalhador, não são pedidos exames médicos periódicos... que coisa né? Nem uma ginástica laboral pra dar uma relaxada... Ah uma outra coisa são os sistemas operacionais utilizados, nooossa, um absurdo de lentos, vivem dando problemas e saem fora do ar, é uma lentidão danada pra abrir cada programa, digitar mil senhas toda hora... nada prático muito menos rápido. Dizem ser difícil modernizar os sistemas porque o banco de dados é gigantesco e daria muito trabalho e sei lá mais o que, será que isso não é uma desculpite? Claro que não deve ser fácil pra melhorar os sistemas, ficar dando sempre a mesma justificativa é mais fácil né? Muita coisa pode ser melhorada, tenho certeza disso. Mas quem sou eu né? Uma formiguinha lá dentro. Só torço para que as coisas aconteçam, porque gosto da empresa (estou aprendendo a gostar, ainda em fase inicial de namoro né?! :D ).

Agora a outra decepção que falei, em relação ao trabalho, é a tal coisa de ter que vender, vender, vender... Nossa, nunca imaginei que fosse assim. Claro que já tinha ouvido falar, que bancário hoje em dia é mais vendedor que qualquer outra coisa, mas juro que não pensei que fosse tanto assim. Sexta-feira tivemos uma reunião que foi falado só sobre isso. É claro que a empresa tem que ter lucro, concordo! Mas o lucro vem naturalmente, e não é pouco não! Essa “forçação” de barra que acho desnecessária. Essa pressão em cima dos empregados, gera estresse e estresse. E outra, agora estão fazendo um ranking de vendas de cada funcionário, pra todos verem quem está vendendo mais e tal, e quem estiver lá pro final da fila pode se preparar pois a casa vai cair.

Acho tudo isso um absurdo. Não gosto e não concordo. Falam tanto no código de ética do banco, mas na prática muitas coisas não são respeitadas. Chamam de “apagar incêndio” os atendimentos que não geram lucro, que esses a gente “tem que identificar logo e dispensar rapidinho”. Sério?? Não dá pra acreditar em certas coisas, mas é verdade...

Só acho que essas coisas desse tipo são desnecessárias, não precisa disso pra ter lucro. E muito lucro. Deviam se preocupar em modernizar os sistemas, agilizar os procedimentos, repensar muitas coisas erradas, que com certeza viria mais lucro ainda.

Lá vou eu ser vendedora de seguros e afins... detalhe: sem treinamento pra isso. Eu que me vire. Fazer o que, tenho que dançar conforme a música...







sábado, 23 de janeiro de 2010

Refletindo...




No dia 21/01 fiz 1 mês de agência, nossa o tempo voou, deve ser por causa dos muitos feriados que teve nesse período. Bom, já comecei a escrever várias vezes pra postar aqui... escrevia mas não publicava... sabe por que? Porque eram só reclamações... coisa mais chata. Mas enfim, pra demonstrar meu estado de espírito nesses dias, vou colocar o que escrevi esses dias atrás:



“Difícil...


Está muito difícil no trabalho, mais do que eu poderia imaginar... Tenho passado muito nervoso, em quase todos os dias... é tão estressante tudo por lá, que parece que a qualquer momento vai explodir uma bomba por ali, então fico naquela apreensão o tempo todo. Ninguém merece isso.


Eu sempre ouvia falar que trabalho em banco é complicado, que é muita coisa, mas não fazia ideia que era desse jeito. Fora que o “treinamento” de 2 semanas não serviu de quase nada, foi uma enrolação, isso sim. Um tempo perdido, que poderia ter sido melhor aproveitado com coisas mais práticas, coisas que realmente usamos no dia-a-dia na agência. Cheguei sem saber absolutamente nada, mas imaginei que teria uma pessoa que ficaria só me ensinando nas primeiras semanas. Caí do cavalo, nada disso. Já me colocaram na fogueira, maior loucura, nunca vi isso. Ter que aprender na frente do cliente. Ah nem vou detalhar tanto, mas é muito estressante mesmo, de ficar doido.


Fora o horário, outra desilusão. Quando fiz o concurso imaginei que trabalharia as 6 horas determinadas no edital... até parece! No primeiro dia me falaram que eu não poderia fazer horas extras no período de experiência, mas isso já caiu por terra. Chego todos os dias as 8:45 e vou embora as 18:00 ou quase isso. O que eu não posso é ganhar as horas extras, isso sim! Porque trabalhar dobrado eu não só posso, como devo. Meu horário teoricamente é das 10 as 16. Nos primeiros dias estava chegando umas 9:30 e saindo umas 16:30 e já percebi vários e vários “olhares tortos” na minha direção. Depois fui entendendo que é um crime você fazer o seu horário, que mesmo que não tenha mais serviço (já aconteceu), deve ficar até mais tarde “pra ficar bonito na fita”, affffe, que palhaçada.


Hoje só me liberaram pra ir almoçar as 15:00, eu já não estava mais agüentando. Fiquei muito brava, acho falta de respeito.


Ahhh sei lá. Que chatice ficar reclamando, eu sei. Mas desde que comecei a trabalhar, me prontifiquei a falar sobre o trabalho aqui nesse blog... e o que tenho pra falar no momento é isso. Faz dias já que queria ter escrito, mas a correria é tanta, o cansaço é tanto, que fui sempre deixando pra depois...”.


Então... a coisa tá punk!


Mas passou 1 mês né...

Sobrevivi?

Sim.

Então é por aí.


Minha meta agora é aprender, aprender, aprender. E administrar o estresse, a pressão, o nervosismo dos clientes, dos colegas de trabalho e o meu próprio. E ir levando. Depois que tiver aprendido mais um pouco as rotinas, espero ter desenvolvido também mais jogo de cintura nos atendimentos, nas situações delicadas e difíceis que aparecem TODOS os dias. Pra só daí começar a me preocupar com metas de vendas e tal.


Ahhh já cheguei a pensar desesperadamente em estudar pra outros concursos... pra trabalhar em algo mais simples, mais light... quero tranqüilidade na vida! :D Vida de bancária não é moleza não, muito pelo contrário. Mas por enquanto não dá pra estudar... estou super chateada que amanhã nem vou fazer a prova do concurso da Copel... pensei muito e resolvi que não vale a pena pois não tenho chance nenhuma sem ter estudado, vou me desgastar a toa... Logo esse concurso da Copel, minha paixão... :(


Mas olha, pensando friamente, acho que eu estava precisando disso tudo acontecendo, sei lá... pra eu dar valor nas coisas, ou mais valor. Se eu tivesse tudo de moleza, se já tivesse ficado na minha cidade pra começar, e tudo o mais, talvez não daria tanto valor né? Imagina, eu nunca tinha andado de ônibus pra ir trabalhar, nunquinha! Porque sempre ia a pé, pois os locais eram perto. Aliás, quase nunca andei de ônibus na cidade, coisa rara. Então agora tenho vivido uma outra realidade... Imagina, fiz o concurso achando que ia trabalhar 6 horas por dia, que ia poder fazer mil coisas durante o dia com o tempo livre e tal, mas na realidade estou gastando umas 14 horas por dia com o deslocamento e o trabalho...


Mas tenho muita esperança de dias melhores! Ah se tenho!!!